como pensar em inglês

9 dicas para pensar em inglês

É bem provável que você já tenha ouvido alguém falar sobre a importância de saber como pensar em inglês. Essa é uma das principais “artimanhas” para quem sonha em ser verdadeiramente fluente no idioma.

Nada mais natural, já que é um treinamento para que sua mente comece a pensar como um nativo. Você deixa de lado aquela mania muito comum de traduzir tudo mentalmente. Ainda assim, muitos alunos ficam perdidos sobre a real importância dessa prática e como adotá-la.

Se essa é a sua situação, então não precisa mais se preocupar, pois está no lugar certo! Leia o post de hoje até o final e surpreenda-se como essa tática pode ajudar! Bora lá para mais uma?

O desafio de pensar em inglês

Pois bem, já falei aqui no blog sobre como pensar em inglês pode ser importante, mas, como você deve imaginar, é igualmente desafiador. Isso porque a tarefa não está entre as mais fáceis do mundo. Além disso, ela não começa sendo feita de uma hora para outra.

Ser você não acredita, pense em quando começou a aprender o português (sua provável língua materna se você está lendo esse texto). Ainda no começo o cérebro funcionava absorvendo as informações que recebia e, em seguida, decodificando as coisas para compreender.

Conforme você foi se desenvolvendo e tendo cada vez mais contato com o idioma e vocabulário, as tarefas foram ficando mais fáceis, certo? Isso acontece porque aprendemos a raciocinar no idioma, assim como processar, entender informações e até mesmo saber como se expressar.

Quando estamos lidando com um novo idioma a tarefa pode ser um pouco mais difícil. Primeiro porque o seu cérebro já está acostumado a pensar em português. O mais comum é que ele opte sempre pelo caminho mais fácil, pois isso envolve menos gasto de energia. Portanto, tentar mudar esse comportamento não está entre os mais fáceis. Isso não vai acontecer de uma hora para a outra.

Ainda assim, nada de ficar acomodado ou usar essa desculpa para não correr atrás do “prejuízo”. Pensar em inglês é uma prática que traz MUITOS benefícios, mas exige muita paciência, dedicação, prática e contato com a língua.

A importância do ambiente de imersão

Eu sou um grande defensor do ambiente de imersão para quem quer verdadeiramente aprender um idioma para valer – e, como já falei outras vezes, ele pode ser um grande aliado para quem quer saber como pensar em inglês. Se você não sabe do que estou falando, esse tipo de ambiente em que você fica imerso prevê que você tenha o máximo de contato possível com o idioma.

A forma mais comum de adotar essa medida é por meio de intercâmbios para países que têm o inglês como língua oficial. Ainda assim, essa não é uma missão viável em alguns casos, mesmo que alguns destinos permitam o trabalho em horas livres, financiamento ou ainda promovam bolsa de estudos.

A boa notícia é que você pode se movimentar para criar todas essas facilidades onde está – e o melhor de tudo: agora mesmo! Basta envolver o inglês nas atividades do seu dia a dia, pois assim você acaba tendo mais contato com o idioma e, quando menos percebe, já começa a pensar assim. É isso mesmo: funciona como se seu cérebro virasse a chave e automaticamente você começasse a “produzir” conteúdos e se relacionar em outra língua. Fantástico, não é?

Chegando ao objetivo

Depois de saber tudo isso é bem provável que a pergunta “Como eu faço para alcançar esse feito?” esteja dominando a sua cabeça. Pois bem, muitos iniciantes do estudo no idioma desejam atingir esse nível, mas, como adiantei, ele não acontece de uma hora para outra.

Ainda assim, esse resultado pode ser ainda mais difícil se você só convive com pessoas que falam em português a todo momento. Isso porque seu cérebro não é estimulado e acaba estagnado na temida “zona de conforto”.

Nesse caso, você acaba caindo no famoso processo que funciona mais ou menos assim:

Recebe a comunicação > Pensar em português > Traduzir para o inglês com a limitação dos seus conhecimentos > Falar

Essa não é a melhor maneira de se relacionar com o idioma – isso sem contar que pode ter um grande delay na comunicação. Por essas e outras, a melhor alternativa envolve pensar em inglês e logo em seguida já começar a falar. Assim você elimina uma etapa e já sai se comunicando de uma maneira muito mais eficiente!

Dicas para quebrar esse ciclo e realmente pensar em inglês

Se você quer saber como se posicionar de forma proativa e romper com essa situação, então veja algumas dicas que levantei para você:

1. Leia as notícias em inglês com frequência

A maioria das pessoas lê ao menos uma notícia sobre a situação do mundo todo dia (ou ao menos uma vez por semana), certo? Pois bem, que tal fazer isso em inglês? Uma ótima alternativa, não é mesmo?

Existem hoje ótimos sites de notícias que produzem seu conteúdo em inglês – uma forma excelente de manter contato com o idioma e acelerar os resultados. Portais consagrados em todo o mundo como o New York Times ou o Washington Post podem ser ótimas alternativas também.

Caso considere a prática muito difícil, lembre-se que pode ainda ler a notícia em português antes ou depois de ler em inglês. Essa é uma medida simples, mas que ajuda muito na compreensão do que está sendo dito e até mesmo nos resultados que você espera.

Outro ponto importante é ler a notícia de forma completa, mesmo sabendo que não vai entender todos os detalhes compartilhados ali. Depois de fazer isso, procure algumas palavras que não conhecia e tente entender o significado dela. Essa é uma forma de expandir os conhecimentos de forma consistente!

2. Veja sua série favorita com legendas em inglês (ou sem legenda)

Se você é do tipo de pessoa apaixonada por séries, então não pode deixar de explorar essa alternativa para atingir os resultados que tanto quer. Caso esteja no nível básico ou intermediário, pode seguir com as legendas em inglês. Porém, caso tenha evoluído um pouco mais, tente assistir sem legenda nenhuma (mesmo que não compreenda todos os detalhes).

Como você já está acostumado com o enredo, a ideia aqui é fazer com que você comece a treinar o seu cérebro para pensar em inglês. Acredite em mim: os resultados dessa prática são muito positivos. Então, não perca tempo e adote essa medida logo!

3. Esforce-se para conversar em inglês

A prática de conversar em inglês também pode trazer ótimos resultados, então não deixe de apostar nessa alternativa. Por mais que a língua não seja comum para você, é bem provável que conheça alguém que saiba falar em inglês, por mais que seja no nível intermediário. Pode ser um colega do trabalho, um amigo ou até mesmo um conhecido.

Nesse momento, seja um pouco cara de pau e sugira um bate-papo no idioma por 15 minutos por semana. Esse é um momento em que vocês podem ser assuntos mais simples e cotidianos, já que a ideia é desenvolver a prática de conversação. Por isso, escute e tente responder logo de cara, sem ficar pensando ou tentando traduzir muita coisa. Essa é a melhor forma de aprender a pensar em inglês!

Outra boa alternativa interessante é contar com a ajuda do WhatsApp ou redes sociais. Como são bem dinâmicos, eles podem fazer com que você responda instantaneamente e tenha ótimos resultados nessa tarefa também!

4. Explore a ajuda de bons aplicativos

Alguns aplicativos podem ser simplesmente fantásticos para quem quer aprender inglês de verdade. Um deles é o Trivia Crack, mais conhecido em português como “Perguntados”. Como traz perguntas que você tem que responder na hora, acaba treinando também um raciocínio automático no idioma.

Se você nunca jogou, então é bom saber que pode praticar com conhecidos ou pessoas aleatórias. Mas o importante é ser ágil e não ter tempo para pensar em português. Convenhamos: uma forma bem eficiente para começar a transformar a mente, não é?

Outro aplicativo muito importante é o Duolingo. Ele permite que o usuário faça uma lição por dia e dessa forma desenvolva a habilidade de pensar em inglês. Caso não goste de nenhum deles, lembre-se que a internet é muito dinâmica e conta hoje com diversas alternativas – e com certeza uma delas vai se adequar ao seu perfil!

5. Mude alguns hábitos e perceba a diferença

O famoso ambiente de imersão envolve mudar alguns hábitos pequenos, mas que ajudam a manter contato com o idioma. Deixar as redes sociais em inglês é um ótimo exemplo, assim como o celular e outros dispositivos (devices) importantes que usamos constantemente.

Outra dica é começar um diário para contar sobre alguma situação importante do seu dia (em inglês, claro). Ou ainda qualquer outra coisa que entre na rotina e facilite a absorção da língua com mais facilidade.

6. Assista palestras online

Os vídeos de palestras são ótimas alternativas. Como é possível encontrar o assunto do seu interesse, indo desde política a estilo de vida, é uma excelente maneira de treinar. O site do TED, por exemplo, é uma ótima alternativa, mas existem ótimos vídeos no YouTube também.

Por isso, pesquise um assunto que goste e tente criar o hábito de assistir os vídeos com certa frequência. E claro: lembre-se sempre de anotar algumas novas palavras para treinar e seguir evoluindo no seu vocabulário.

7. Ouça música de forma atenta

As músicas podem ser grandes aliadas para quem quer começar a pensar em inglês. Isso se você parar um pouco para pensar o que elas comunicam, a forma de pronunciar as palavras e outros detalhes do tipo.

Somado a isso, elas fazem com que você se acostume com algumas expressões muito comuns. Este é um ponto que faz com que você precise de menos tempo para pensar. Assim fica mais fácil perceber os resultados, certo?

8. Fale sozinho

Se você pensa que falar sozinho é coisa de maluco, então talvez seja hora de mudar os seus conceitos. Isso porque a prática pode ser um grande diferencial de quem quer aprender inglês para valer!

Tenha em mente que quanto mais treinar e quanto mais vocabulário tiver, mais fácil vai ser se comunicar e formular frases sem muita dificuldade. Por isso, pense em um diálogo específico e comece a se comunicar sozinho.

Essa experiência ajuda muitas pessoas a atingir a tão sonhada fluência, pois você não sente nenhum tipo de constrangimento ou tem alguém para corrigir o que está sendo dito. Acredite em mim: essa prática ajuda você com aquela situação em que as palavras somem e você não sabe o que dizer. Nesse caso, basta descrever o que gostaria e continuar se comunicando.

9. Faça da tarefa de “pensar em inglês” um hábito contínuo

Para fechar a nossa lista de dicas, é preciso lembrar que essa é uma tarefa que envolve muito esforço. A tarefa de pensar em inglês deve se tornar um hábito contínuo e recorrente. Essa é a melhor forma de conquistar os resultados que tanto espera.

Então, não deixe a peteca cair nem ache que essa é uma iniciativa apenas para um mês ou dois. Continue estimulando o seu cérebro até que essa tarefa fique fácil e comum para você.

Agora você já sabe a importância de investir no hábito de pensar em inglês (e como agir para facilitar essa situação). Por isso, não deixe de colocar essas dicas em prática e colher os tão sonhados resultados. Você vai se surpreender como seu nível de inglês pode acelerar de forma consistente.

E você, tem algum amigo que também está vivenciando essa mesma dificuldade? Compartilhe o conteúdo nas redes sociais e faça com que a tarefa fique mais fácil para ele também! Nos encontramos por lá!

Comentários