filho high school

Devo enviar meu filho para um High School?

Entre as diversas oportunidades de intercâmbio disponíveis nos dias de hoje, o high school tem se destacado como um ótimo caminho a se seguir. Agradando muitos pais e filhos, essa é uma oportunidade de sair do país ainda cursando o ensino médio e voltar com esta etapa concluída no exterior.

Por mais que esta seja uma oportunidade cada vez mais procurada, muitas pessoas ainda não sabem como funciona. Se essa é a sua situação, então não precisa mais se preocupar. Saiba tudo sobre o assunto na postagem de hoje.

O que é o intercâmbio high school, afinal?

Esse é um intercâmbio em que estudantes brasileiros vão para países estrangeiros estudar durante um semestre ou dois. A faixa etária mais comum é entre 14 e 19 anos – período em que os adolescentes normalmente estão no ensino médio (o high school).

Os destinos mais comuns são Estados Unidos, Canadá, Inglaterra, Alemanha e França, mas pode haver outras oportunidades também. Tudo depende da disponibilidade e preferência do aluno. Nesse tempo, eles aprendem matemática, geografia e as outras matérias comuns no período do Ensino Médio. Só que, como você deve imaginar, isso tudo acontece no idioma do país.

Essa é uma ótima oportunidade de fazer uma imersão na língua através de experiências reais e aprender como um nativo, criando amizades e desenvolvendo muito seus conhecimentos. Além disso, essa pode ser uma ótima oportunidade para quem tem o nível de inglês mais básico, já que a maioria deles volta com fluência depois desse período.

Como funciona?

O programa high school é bem parecido como o nosso ensino médio no Brasil, mas as atividades extracurriculares têm um peso maior. Nesse caso, é muito comum que os alunos se envolvam com esportes e danças – assim como as pessoas desses países normalmente fazem.

Nesse período, os estudantes ficam alojados em casas de famílias selecionadas pelo programa e organização do intercâmbio. Para encontrar uma casa com perfil parecido, o estudante preenche alguns documentos contando sobre si, sua família, o que gosta de fazer e outros detalhes relevantes.

Assim as agências conseguem encaixar os interessados com mais facilidade e amenizar um pouco as diferenças culturais. Além disso, antes de embarcar, os estudantes já começam a fazer contato com a família que vai hospedá-los, criando um bom clima de aproximação.

Qual a melhor época para ir?

Se você está pensando em mandar seu filho (ou ele mesmo está pedindo a experiência), é bom começar a programar e procurar a vaga com 6 meses de antecedência. Essa é uma maneira de programar todos os detalhes e se preparar financeiramente.

Os embarques normalmente acontecem nos meses de agosto e setembro, quando o ano letivo começa na maioria dos países do Hemisfério Norte. Para quem vai passar apenas um semestre, os embarques podem acontecer entre fevereiro e abril.

Como validar o diploma?

Para aproveitar as matérias cursadas no exterior, é importante conversar com a escola daqui. Assim fica mais fácil aproveitar os estudos e validar o que você fez lá. Você também pode se informar melhor na Secretaria de Educação do seu Estado. Mas é bom considerar se isso pode comprometer ou não o vestibular (ENEM) do seu filho.

Qual o valor do investimento?

A maioria dos pais lê essa postagem esperando exatamente esse tópico. Segundo expectativas dos Organizadores de Viagens, esses custos podem variar muito. Vai depender do padrão de vida que o adolescente vai levar e quanto os pais podem investir.

Para você ter uma noção, os valores podem variar de US$ 5 mil a US$ 80 mil para todo o programa. Pode ser que você tenha se assustado com os valores, mas, como eu disse, eles podem variar bastante. E tem outra: tudo depende do país que seu filho vai morar, a cotação da moeda, etc.

Se você parar para pensar e considerar quanto gasta com seu filho no Brasil (considerando mensalidade de escola, transporte, aula de inglês e outras atividades) pode ser que veja menos diferença entre os gastos.

Meu filho pode conseguir uma bolsa?

Esse é o desejo de muitos pais e a boa notícia é que é possível SIM. Quando tiver um tempo, não deixe de dar uma olhada em sites como RotaryFundação EstudarAFS e Jovens Embaixadores. Essa pode ser uma ajuda e tanta!

Os benefícios compensam?

Sem sombra de dúvidas compensam – e muito! Depois de um período no exterior, seu filho volta mais independente, bem-resolvido e com a proficiência em inglês no currículo. Vantagens muito relevantes, concorda? Além disso, ele cria amizades e expande o networking de forma consistente!

Agora que você já sabe tudo sobre o intercâmbio high school, pondere se seu filho deve ou não ir. Entretanto, caso tenha condições, lembre-se que esse pode ser um ótimo investimento. Se você ficou com alguma dúvida e gostaria de saber mais algum detalhe, não deixe de comentar no espaço abaixo. Nos encontramos em breve!

Comentários