Vale a pena um intercâmbio depois dos 30 anos

Vale a pena fazer um intercâmbio depois dos 30 anos?

Quem já passou dos 30 costuma dizer que a vida passa por uma ressignificação nesse momento. A idade é realmente um marco para a maioria das pessoas. Por conta disso, eu particularmente concordo que muitas coisas são colocadas no lugar.

Embora não sejamos realmente “velhos”, a idade começa a interferir em alguns sentidos. A prova disso é que pensamos e repensamos antes de tomar qualquer decisão.

O intercâmbio depois dos 30 é o sonho de muita gente. Porém, as pessoas ficam pensando se vale a pena ou se a idade passou para esse tipo de aventura. A verdade é que essa pode SIM ser uma das escolhas mais acertadas que você pode fazer.

Para entender um pouco melhor porque essa é uma ótima opção, não deixe de ler o artigo até o final. Cola aí e vamos juntos!

O marco dos 30 anos

Se você é o tipo de pessoa “noiada” com a idade então talvez esse post não se aplique completamente a você. No seu caso, a idade pode representar um peso. Mas, por outro lado, muitas pessoas defendem que os 30 anos representam a melhor fase da vida.

É claro que as decisões podem fazer com que você reflita por mais tempo. Contudo, as escolhas podem ser mais acertadas e os momentos mais bem aproveitados. Nos tempos de hoje, a terceira década costuma marcar uma carreira ainda não totalmente consolidada.

Esse detalhe pode soar como incômodo num primeiro momento. Neste caso, pode representar um impulso e tanto na hora de largar tudo (por um tempo ou para sempre). E, além disso, aproveitar a experiência de morar fora do país.

Você pode viver em outro país para fazer um curso de inglês ou até mesmo outras coisas mais elaboradas, como uma pós-graduação ou mestrado, por exemplo. Ter uma vivência internacional para estudar ou trabalhar pode ser uma ótima maneira de dar um upgrade na carreira e fazer com que seja mais bem valorizado pelo mercado de trabalho.

Outro ponto que faz toda diferença é a mentalidade. Quem faz intercâmbio mais novo, como no caso do high school, pode acabar não entendendo ou valorizando a experiência que está tendo.

Por outro lado, quando nos aventuramos um pouco mais maduros sabemos o quanto essa vivência internacional é valiosa e um verdadeiro diferencial. Isso faz com que aproveitemos cada segundo, expandindo os contatos, criando networking, conhecendo lugares diferentes e tudo mais que for possível!

As vantagens que um intercâmbio pode trazer

Se você ainda está em dúvida se um intercâmbio depois dos 30 anos vale mesmo a pena ou é só uma modinha, então veja algumas vantagens que listei nesse post.

Imersão no idioma

Já falei sobre isso no blog diversas vezes, mas não canso de repetir: a melhor maneira de aprender inglês de forma acelerada é criar um ambiente de imersão no idioma. Por mais que você seja eficiente em ter o máximo de contato possível aqui no Brasil, nenhuma experiência supera a vivência em um país que tenha o inglês como língua oficial.

Esses países são o ambiente em que as pessoas falam inglês a todo momento. Em toda e qualquer atividade que você queira se envolver, o idioma estará presente. Isso sem contar com as outras comunicações. As placas, direcionamentos e várias outras coisas também estão no idioma e acabam forçando sua necessidade de entendimento.

Por essas e outras o intercâmbio (mesmo o intercâmbio depois dos 30) se firma como uma ótima maneira de treinar seu ouvido, aumentar a compreensão e desembolar o inglês. Acredite: você vai se surpreender com os resultados!

Convivência com nativos

Esse é outro grande ganho ao fazer um intercâmbio depois dos 30. Conversar com nativos em inglês – afinal de contas, só não faz isso em outro país quem não quer. Além de serem fluentes na conversação, os nascidos em países que falam inglês também contam com uma pronúncia perfeita.

É claro que pode haver diferença de região para região, tal como temos aqui no Brasil sotaques que dependem de cada estado. De toda forma, essa é a melhor maneira de aprender. O seu ouvido se acostuma com a forma correta de falar e as chances de você pronunciar mais ou menos da mesma forma são maiores.

Outro grande ganho é se acostumar com o ritmo de uma conversa. Quando estamos em outro país nos deparamos com bate-papo bem mais acelerado. Para conseguir acompanhar tudo que está sendo falado precisamos nos comprometer com cada detalhe (ou acabamos perdendo informações muito importantes).

Para fechar, a convivência com nativos traz outro ganho muito significativo. Essa imersão faz com que você consiga aumentar seu vocabulário de forma surpreendente. Eles usam palavras muito diversificadas, combinam com expressões idiomáticas e usam gírias que são muito enriquecedoras. Caminhando ao lado de alguns deles você vai aprender todas essas particularidades de forma fácil!

Oportunidade de conhecer lugares diferentes

É claro que eu poderia fazer um post imenso só com os benefícios que o intercâmbio pode trazer. Maaas, como o assunto desse post aqui é o diferencial de um intercâmbio depois dos 30, então vou fechar com essa última vantagem.

Morar em outro país também representa ainda uma grande chance de conhecer lugares diferentes. A cidade que você escolher para morar já é um lugar que merece ser desbravado e conhecido. E tenha certeza de que você vai morrer de saudade de cada cantinho dela quando voltar. Então aproveite cada segundo dessa jornada!

Além disso, você pode conhecer outros lugares que ficam ali perto, outros estados ou, quem sabe, até outros países. Por mais que o dinheiro esteja contado e você não possa esbanjar, é bem provável que você se surpreenda com os lugares que vai conhecer.

E tem mais: esse é outro enriquecimento cultural que vai muito além de saber um outro idioma, mas que te transforma como pessoa e profissional. Você vai ser outra pessoa depois disso, pode acreditar!

O diferencial de um intercâmbio depois dos 30

Depois de perceber como um intercâmbio é uma ótima oportunidade, então é bem provável que você esteja se perguntando porque fazer depois dos 30 pode ser uma boa opção, certo? A verdade é que a vivência internacional é uma boa ideia em qualquer momento da sua vida, então, tendo a oportunidade, não pense duas vezes!

Ainda assim, esse período conta com algumas particularidades que podem tornar tudo ainda mais especial. Veja:

Possibilidade de arcar com os próprios custos

Quem faz um intercâmbio mais novo normalmente precisa da ajuda dos pais ou parentes – seja para o período inteiro ou para parte dele. Isso envolve uma chance maior de ter que dar satisfação ou explicações sobre o que vai fazer e como vai usar o dinheiro.

Pois bem, um intercâmbio depois dos 30 pode ser um pouco diferente (embora sempre existam exceções). Embora algumas pessoas ainda morem na casa dos pais, aos 30 normalmente existe mais autonomia nas tomadas de decisão.

Isso significa que vai aproveitar muito mais, já que seus pais também ficam mais tranquilos sabendo que você sabe melhor como ponderar o que vai viver. Por mais preocupados que eles sejam, no fundo sabem que você já está bem “grandinho” e sabe se virar bem.

Além disso, fica mais fácil juntar uma quantia e aproveitar o período com mais facilidade. Convenhamos: de uma forma geral, um profissional formado consegue fazer mais dinheiro que um jovem de 18, certo?

Oportunidade de arrumar um emprego

Alguns países contam com facilidades quando o assunto é arrumar um emprego. Austrália, Canadá e Irlanda estão entre algumas opções comuns e, se você tem essa pretensão, então pode começar suas pesquisas por algum desses.

A diferença é quando está mais maduro existem chances maiores de encontrar um trabalho melhor. Quando você é mais jovem, por exemplo, pode acabar servindo de garçom ou até mesmo outro trabalho mais informal. Mas pode ser consideravelmente mais difícil conseguir algo especializado ou ainda dentro da sua área de atuação.

Por outro lado, quem opta por um intercâmbio depois dos 30 pode contar com chances maiores, pois  apresenta um currículo melhor e tem uma tendência maior e estar mais amadurecido no mercado de trabalho.

Embora essa não seja uma realidade em todos os países de intercâmbio, vale a pena considerar essa hipótese.

Ficar no país para sempre depois do intercâmbio

Depois dos 30 a vida apresenta caminhos que podem ser mais definidores. Fazer um intercâmbio nesse momento pode significar encontrar o amor da sua vida, descobrir o emprego dos sonhos ou ainda saber que quer morar nesse lugar para sempre.

Pode parecer bobagem, mas a vida apresenta aberturas que podem fazer com que seu intercâmbio acabe se prolongando e você fique no país para sempre. Soa estranho? Então abra sua mente e esteja disponível para todas as possibilidades que a vida trouxer!

Interesse mais aguçado em estudos e cultura

As pessoas mais velhas tendem a valorizar ainda mais essa oportunidade, pois sabem como ela é única. Alguns jovens pensam que um intercâmbio é normal ou faz parte da vida de todo mundo. Na verdade, não é todo mundo que consegue separar um período de tempo ou ainda acumular uma quantia de dinheiro que permita viver no exterior.

Somado a isso, percebemos a vida um pouco mais diferente depois dos 30. Sabemos que conhecer o mundo e visitar bares pode sim ser muito legal. No entanto, queremos crescer e valorizar as pessoas que estamos nos tornando.

Os adultos são muito mais focados em realizar esse tipo de objetivos durante um intercâmbio, embora existam sempre exceções, claro. Isso significa que eles tentam entender qual é o contexto histórico da cidade, as causas sociais, museus, shows e outros estudos mais profundos.

O ideal é planejar o que quer fazer e aproveitar ainda mais seus dias no exterior. Você vai perceber que as boas memórias ficam para sempre!

Chance de escolher melhor o lugar para o intercâmbio

O senso crítico também pode ajudar muito quem quer fazer um intercâmbio depois dos 30. A procura tem sido tão grande que hoje existem escolas focadas em investir em cursos de inglês e profissionalizantes para pessoas como você.

Além disso, alguns destinos podem ser muito especiais. As Ilhas de Malta, por exemplo, são um verdadeiro paraíso. Tanto na beleza, animação e escolas para quem passou dos 29 anos. Uma oportunidade e tanto!

A Nova Zelândia também se firma como uma ótima solução. Embora muitos brasileiros ainda não saibam, o país conta com um visto de “trabalho de férias” (ou working Holiday) – o que pode ser uma experiência e tanta!

Morar na Europa também pode ser incrível! Opções como Inglaterra e Irlanda são simplesmente sensacionais (sem contar com a possibilidade de conhecer muitos outros lugares). Além de ser um polo cultural e histórico do mundo, você ainda pode estudar em alguma das mais renomadas universidades e escolas do mundo.

Para fechar, não poderia deixar de falar do intercâmbio nos EUA. As faculdades e escolas americanas são muito conceituadas, além de terem uma relação conjugada com estágios e oportunidades em startups. Esse pode ser um ótimo começo ou ainda um pulo para uma multinacional ou outros caminhos na terra do Tio Sam.

Agora você entende um pouco melhor como um intercâmbio depois dos 30 pode ser uma ótima opção. Portanto, não deixe de considerar essa hipótese com mais calma. Você vai se agradecer por ter assumido esse investimento consigo mesmo e sua história.

Lembre-se que agora está mais maduro e bem financeiramente. Estes são dois pontos que fazem toda diferença para quem vai embarcar nessa aventura! E você, conhece outras pessoas ponderando esse sonho? Então compartilhe o conteúdo nas redes sociais e ajude cada um deles!

Comentários