Trabalho no exterior

Trabalho no exterior – 9 dicas sobre como se relacionar com americanos

Se você vai para um trabalho no exterior, trabalhar com americanos em uma multinacional, ou decidiu jogar tudo para cima e tentar ganhar a vida nos Estados Unidos, deve estar apreensivo com as dificuldades que vai enfrentar. Entretanto, o desafio pode ser mais agradável que você imagina.

É claro que as diferenças existem, mas você pode se preparar. Para tornar o desafio do trabalho no exterior mais fácil, levantei algumas dicas preciosas e que podem ajudar muito você. Fique atento e não perca nenhum detalhe!

Boa remuneração e poder de compra

A remuneração pode não ser um grande diferencial para se viver nos Estados Unidos, já que é bem mais difícil encontrar essa discrepância de salários que vemos no Brasil. Entretanto, o poder de compra pode ser bem maior, tornando a qualidade de vida mais satisfatória, pois o salário “rende” bem mais.

Outra diferença é que a maioria dos lugares paga o salário por horas trabalhadas. Então, trabalhou mais, ganhou mais. Essa é uma maneira de garantir mais flexibilidade para os colaboradores, além de remunerar com mais justiça.

Cuidado com as horas extras

Se ficar até tarde no trabalho é algo que pode ser bem visto no Brasil, no trabalho no exterior é bom tomar cuidado. Em alguns estados dos Estados Unidos, a hora extra pode ser mal vista, já que, para eles, isso pode significar que você não está conseguindo desempenhar suas tarefas no horário comercial. E isso, meu amigo, pode atestar falta de comprometimento ou até de competência.

Dê apertos de mão firmes

No mundo corporativo americano, é muito comum um aperto de mão firme e forte. Se isso acontecer com você e sua mão até doer com o aperto de mão, não precisa se assustar! Essa é uma maneira mais profissional e que demonstra firmeza nos relacionamentos e negociações.

Saiba se relacionar com os colegas

É claro que não é possível comparar a vida social dos brasileiros e americanos, então pode ser que você estranhe um pouco em um primeiro momento.

Ainda assim, pense que eles separam muito a vida social da profissional, tendo uma visão mais amadurecida. Se seu chefe te repreendeu durante a manhã, por exemplo, ele não terá nenhuma dificuldade em te chamar para almoçar. Na cabeça deles, uma coisa não tem nada a ver com a outra!

Seja pontual nos compromissos

Já não é legal no Brasil, mas no trabalho no exterior, se você tem uma reunião agendada, nem pense em se atrasar. Os horários de início e término costumam ser muito respeitados – a não ser que aconteça algum imprevisto ou motivo de força maior. Se sua reunião está agendada de 9h às 10h, é bom saber que é exatamente isso que vai acontecer. Chegar atrasado ou não participar pode ser mal interpretado, então é bom tomar cuidado!

Não dê voltas e vá direto ao assunto

Essa é outra diferença cultural que pode pesar um pouco: nada de ficar dando voltas antes de começar a reunião para valer. Especular sobre o tempo, família e outros detalhes pode não pegar muito bem, pois eles entendem que estão ali parados por um motivo, então é melhor ir direto a ele.

Além disso, é muito importante participar da reunião, indo muito além de apenas estar de corpo presente. Além de ser incentivada, eles acreditam que você fará isso, expondo sua opinião e suas considerações. Então, nada de ficar de boca fechada!

Trabalho mais próximo e de portas abertas

Se as organizações são muito hierarquizadas no Brasil, a relação é mais leve nos Estados Unidos. Eles trabalham normalmente com as portas abertas, proporcionando um ambiente com as lideranças mais próximas. Nesses ambientes, falar com o chefe não é nada mal visto e pode ser mais comum que o esquema brasileiro.

Entregue resultados

Num trabalho no exterior, trabalhar muito, mas não entregar resultados também não é nada bom. Pense que você está sendo pago para produzir e é exatamente isso que eles esperam de você. Além disso, essa entrega acontece com mais autonomia. Não pense que precisa perguntar tudo para o seu gestor, pois o poder de decisão é muito valorizado – e os indecisos têm menos espaço nessas novas organizações. Portanto, arrisque e seja mais independente!

O ambiente é competitivo e é bom entrar no jogo

Os americanos podem ser mais competitivos que os brasileiros – seja no trabalho, no esporte ou em outras relações. Então, para se destacar e crescer, é importante entrar na competição e dar o seu melhor em cada tarefa. Esqueça aquela ideia de fazer por fazer!

Agora que você já conhece as principais diferenças, sua experiência de trabalho no exterior promete ser incrível – e a proficiência em inglês pode abrir muitas portas! Para continuar acompanhando as dicas e conteúdo, não deixe de curtir a nossa página no Facebook. Te vejo por lá!

Comentários